Este site usa cookies para melhorar a sua utilização.

Projecto: Política Externa e Regimes Políticos: Portugal 1890-2010

Fonte de Financiamento: FCT (PTDC/HIS-HIS/119671/2010)

Instituições Participantes: IPRI-NOVA e IHC/FCSH/NOVA

Período de realização: Março de 2012 - Agosto de 2015

Resumo:A produção historiográfica sobre a política externa portuguesa tem-se centrado exclusivamente na análise dos resultados e do seu impacto político. Este projecto desloca o centro de análise dos resultados para o processo de formulação da política externa portuguesa. O Projecto cobre o período cronológico entre 1890 e 2010 e identifica as tendências de continuidade e mudança na política externa portuguesa, através dos diferentes regimes políticos. Neste sentido, desenvolve-se uma análise em três níveis fundamentais: os agentes, as estruturas institucionais e os processos de decisão política. Quem é o Ministro dos Negócios Estrangeiros em Portugal? Para responder a esta questão procede-se a uma análise prosopográfica para identificar o perfil dos responsáveis políticos do Ministério dos Negócios Estrangeiros (Ministros e Secretários de Estado). E quem são os embaixadores de Portugal? Mais uma vez, a análise prosopográfica permitirá desenhar o perfil dos chefes de legação (embaixadores) portugueses.
Caracterizada a elite política e diplomática, cumpre-se o objectivo de conhecer os principais agentes da formulação da política externa portuguesa. Que instrumentos têm para a execução da política externa portuguesa? Onde estão as embaixadas e os consulados de Portugal? Para responder a esta questão, analisa-se a evolução da estrutura orgânica do Ministério dos Negócios Estrangeiros e a evolução geográfica das redes diplomática e consular.
Como decidiu Portugal a entrada na Grande Guerra? Como decidiu entrar na NATO? E na Comunidade Europeia? Em síntese, como se tomam as decisões de política externa em Portugal. Para responder a esta pergunta, com base nas áreas sectoriais de interesse estratégico para Portugal e num conjunto de estudos de caso, proceder-se-á a uma análise das tomadas de decisão, no período considerado. O modelo da foreign policy analysis constituirá a referência teórica central para a interpretação do material empírico. O corpus documental será extensivamente de base arquivística, sem esquecer a bibliografia de referência. Este projecto reúne uma equipa multidisciplinar oriunda de história, de ciência política, de sociologia e de relações internacionais, o que contribuirá para uma análise mais integrada dos resultados do projecto.

Membros da Equipa:

Ana Mónica Fonseca
Ana Sara Vieira
António Costa Pinto
Daniel Marcos
Edalina Sanches
Isabel Alcario
Joana Mendes
Nuno Severiano Teixeira (Coordenador)
Patrícia Daehnhardt
Pedro Tavares de Almeida

Principais outputs:

Conferências e Seminários

  1. Curso de Verão 2013: “Políticos e Diplomatas: Quem são as elites portuguesas que fazem a política externa”, Óbidos, 16 a 18 de Setembro.
  2. Curso de Verão 2014: “Os instrumentos da política externa Portuguesa: estrutura, representação e desafios de futuro”, Óbidos, 25 a 27 de Setembro.
  3. Conferência Internacional 2015: “Foreign-Policy Making in Southern Europe”, Fundação Calouste Gulbenkian, 21 de Maio.
  4. Consultar publicações no âmbito do projecto no respectivo site.


fct        fcsh        edp       

edp        edp        ribei